sexta-feira, outubro 03, 2008

Pedro Barroso - Sensual Idade

A música de Pedro Barroso é transversal e atravessa idades e gerações, sempre plena de significados e de sensibilidade. Se dúvidas existissem aí está este novíssimo «Sensual Idade», a comprová-lo.
Vindo inicialmente de uma área de intervenção crítica, a música e as palavras de Pedro Barroso têm denotado uma progressiva opção temática de um carácter mais abrangente, onde releva uma aprofundada procura dos seus grandes temas de sempre - o amor, a solidariedade, a História, a reflexão íntima sobre os valores da vida - assumindo-se como um autor sério e rigoroso, cada vez mais respeitado enquanto cantor, poeta e compositor.
Considerado como um dos últimos trovadores de uma geração inconformada - que ajudou, pela canção, a conquistar as liberdades democráticas para Portugal, Pedro Barroso continua a constituir-se como uma proposta alternativa, sempre irreverente, critica e sensível nos seus concertos, repletos de emoção e coloquialidade.
A par com uma extensa Discografia como autor e compositor (cerca de 30 discos editados, entre Ep’s, singles, LP’s, CD’s, Antologias várias e discos colectivos), Pedro Barroso tem também publicado poesia («Cantos falados» ed. Ulmeiro, 1996; «das Mulheres e do Mundo» ed. Mirante, 2003) e ficção ( «O País Pimba» Ed Calidum, 2006, brevemente «Contos Anarquistas»)
«Sensual Idade» aponta sobretudo a um público adulto, pois aborda a sensualidade e algumas das suas múltiplas variantes no complexo e sempre insondável universo do sentir humano. Um registo discográfico que mergulha com subtileza e abrangência em tão susceptível e melindrosa matéria. Aposta ganha, diríamos nós, até por reflectir observação, segundo o próprio, filha de muita idade e muita experiência.
É sem dúvida um disco de fino traço poético e extremamente elegante. Apela ao sonho e ao sorriso. Apela à inteligência e à tolerância. E conduz-nos, de tema em tema, a um universo de bom gosto e cumplicidade.
Sensual Idade é um disco de doze canções e dois poemas, onde a poesia ganha voz, em simbiose superior com ambiências sonoras envolventes e perfeitas. Para isso, muito contribui o excelente naipe de músicos com que Pedro Barroso se fez acompanhar na produção deste novo projecto. Assim, além dele próprio, assumem especial relevo as participações de Luís Petisca (bandola, guitarra portuguesa e clássica); Manuel Rocha (violino); Miguel Carreira (Acordeão); Luís Sá-Pessoa (violoncelo); Rodrigo Serrão (contrabaixo); Nuno Fernandes (tuba); Nuno Barroso (Piano, coros): ou o S. Marcos Quartet, entre outros. De destacar também a colaboração de Lara Li que partilha um dueto brilhante.
Um disco que roça a perfeição, onde a melodia e as palavras se abraçam e, num eterno beijo se deixam cantar, como por encanto, por um dos maiores ‘cantautores’ nacionais.

2 comentários:

araujo disse...

Tenho o prazer de conhecer este notável trabalho e estranho a comunicação social não lhe dar o destaque que merece.

Sensual idade" é um tesouro que devia ser dado a conhecer ao povo português...

"Sensual idade" é prazer, requinte e bom gosto.

Parabéns Pedro!

TERESA SANTOS disse...

Passei por aqui, por acaso.
Faço minhas as palavras do Araújo. Como é que a comunicação social, particularmente a rádio, não deu, (nem dá) o destaque que este belissimo trabalho merece?! Há muitas coisas incompreensiveis, esta é uma delas.
Tenho o CD e, sempre que posso, delicio-me com este belissimo trabalho.
Obrigada, Pedro Barroso.